segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O bem gera o bem




Que há perseguições, vinganças injustas, falsidades... ao nosso redor, isso o sabemos, mas a Graça, ao contrário de tudo isso, é muito mais abundante!

E é da Graça de Deus que, agora aqui, eu quero falar...

Diz-se que Deus escreve certo por linhas tortas... , eu me sinto na obrigação de testemunhar a experiência de Paraíso que vivi neste final de semana, dia dos pais...

Mas foi no sábado, dia 9 que a provação veio bater à porta de meu ministério para sondar-me de como eu iria proceder...

Eu estava na capela nossa Senhora da Assunção e já havia iniciado a missa das 18h00. Tudo prosseguia aparentemente normal, até o momento em que iniciei a homilia... Não tinha dito nem 10 ou 20 palavras e uma senhora se levantou do lugar onde estava e, pelo corredor lateral foi até o fundo da capela. Mas, em seguida, voltou... Parou um pouco, deu a meia volta e novamente foi em direção ao fundo da igreja.

Parei de falar, chamei a senhora que me parecia muito desesperada e lhe perguntei sobre o que estava acontecendo e se precisava de ajuda.

Ela me disse que sim. Estava apreensiva; se lembrara que havia deixado o forno aceso na cozinha de casa, onde teria deixado assando um bolo... e que dada a hora sua casa corria o risco de incêndio. E me pediu para que a ajudasse com um telefone...

Eu pedi aos fiéis se alguém poderia ajudá-la. Imediatamente o clima solidário tomou conta do ambiente e dois aparelhos surgiram, e a senhora saiu até a calçada para fazer a ligação para o marido, pedindo-lhe que fosse até a casa para ver o que estava acontecendo...

Terminado o impasse, quando tudo se resolveu, prossegui com a pregação.

No dia seguinte, domingo, quando eu havia chegado em casa, depois de ter celebrado a missa das 19h00 na Matriz, fiquei sabendo que um sofá que fora colocado por alguém sobre a calçada da capela da Assunção, pegou fogo por conta de um ato de vandalismo: alguém lhe ateou fogo, e o incêndio se alastrou pela pintura externa da igreja, subindo pela parede e quase tomando conta do ambiente interno também.

Como a janela que estava sobre o sofá estava aberta, as chamas, que já estavam reforçadas pela tinta da parede, foram entrando para o lado de dentro. Os vidros se quebraram, e as labaredas tinham todo o calor necessário para começar a derreter o forro interno de PVC que, respingando sobre os bancos de madeira, o inevitável incêndio certamente iria acontecer.

Mas o Senhor, mais uma vez, foi bom...

Deus não deixou que o pior acontecesse. Lembrou-se na sua justiça que eu, seu filho padre, responsável por aquela comunidade, havia ajudado a evitar um incêndio, na tarde anterior, numa casa de família.

Diante disso, enviou seus anjos para que pudessem apagar o fogo que me rondava... e o milagre aconteceu.

Eu me pergunto se tivesse sido diferente a tarde anterior... Se, ao contrário, eu tivesse me indisposto com aquela senhora que aparentemente estaria atrapalhando minha pregação?

Por que motivo os anjos do céu teriam ido ao meu socorro no dia seguinte para me ajudar, se eu tivesse sido insensível ao desespero daquela mulher que tendo esquecido o forno aceso, colocava em risco sua própria casa a ponto de incendiá-la?

Mas enquanto eu ajudava a impedir que uma casa de família se incendiasse, o Senhor Deus fazia o mesmo por mim, e não permitiu que a minha casa se queimasse. É o bem que tem como recompensa o bem.
 
Por isso, obrigado, Senhor Deus! Eu sinto sua presença me guiando, me orientando, me formando e me educando. Que eu jamais seja insensível à vossa Graça e Unção que sempre recaem sobre mim.

Como tenho tanto para vos agradecer!

Que eu sempre continue atento aos vossos sinais. Que eu os consiga perceber à distância, e que Maria Santíssima, nossa Senhora da Assunção, não retire jamais de mim seu materno e doce manto de amor.

Nossa Senhora da Assunção!

Rogai por nós!

sábado, 2 de agosto de 2014

Nasce uma nova vida...


 
Sim... Nasce uma nova vida!

Pessoas de boa vontade, com a unção de Deus e aprovação de nossa Santa Mãe Igreja, na pessoa de nosso Arcebispo Metropolitano Dom Moacir Silva, se unem em oração e missão para ir ao encontro dos excluídos.

Excluídos no sentido mais amplo da palavra. Esta é a Obra que acaba de nascer no meio de nós. Uma obra composta por pessoas simples, mas com o desejo único no coração: construir o Reino de Deus de modo que sejam alcançados aqueles que de algum modo estão excluídos.

Maria Santíssima carregou o discernimento desta família no colo. Paulo Apóstolo a inspirou e Jesus Cristo a confirmou. E com a bênção episcopal, soubemos que, de fato, é a vontade de Deus que se dá como Família Missionária Paulo Apóstolo.

Um dia ela poderá fazer algo por você!

Amém.